Imprensa

 Caderno B
05/05/2011 20:59:30

Galeria CCBEU expõe artes e artesanato 

Foi inaugurada ontem a exposição “A Arte Enfeita a Vida”, na Galeria de Artes CCBEU - Espaço Cultural “Prof. Edmond Atallah”. A mostra que fica aberta ao público até dia 31 apresenta trabalhos variados, de artes plásticas ao artesanato e confecções em tricô sem costura.
Logo na entrada do espaço, uma tela da artista plástica Taís Monteiro que expõe ao lado de Celso Ribeiro e Marília Nappi. São várias as obras em diferentes técnicas.
Para quem aprecia o artesanato, caixas decoradas, porta retratos, suporte para blocos de anotação e oratórios de Regina Atallah; blusas, xales, ponchos, casaquinhos de bebê produzidos na técnica de tricô circular, sem costura, por Edna Aparecida da Silva.
Tem ainda trabalhos da artista Teresa Oliveira que aproveita cascas de árvores, galhos, folhas e outros materiais naturais para compor quadros, arranjos e outras peças de decoração e, guardanapos e toalhas decoradas, além de peças de Elza Conelian, Rosana Fernandes de Almeida e Ana Paula Cordeiro. A Galeria fica à rua Cel. José Braz, 77.


http://www.diariodemarilia.com.br/Noticias/98403/Galeria-CCBEU-expe-artes-e-artesanato



JORNAL DA MANHÃ


TERESA OLIVEIRA Voltar
Aposentada transforma lixo em arte
17/04/2011
O que para muitas pessoas é lixo, para a aposentada Teresa Oliveira, 64 anos, é matéria-prima para obras de arte. Há dois anos, ela descobriu na reciclagem a cura da depressão e sua capacidade criativa. Uma história que começou com o acúmulo de garrafas pet e com a necessidade de destinar o lixo de forma correta.
Corta daqui, encaixa dali e nascia um banco. Tereza não parou mais... Autodidata, a aposentada passou a transformar cascos de árvores, sementes e madeiras retirados d e lixo em quadros. Caixas de papelão, em porta trecos. Pinhas em corujas e objetos de decoração. Garrafas pet em pufes.
A terapia começou render uma receita extra. Hoje, ela recebe encomendas. Um quadro, por exemplo, é vendido por em média R$ 100. “Foi uma coisa de Deus. Encontrei na reciclagem meu melhor remédio”, afirmou a artesã.
Apesar dos afazeres domésticos, a aposentada dedica pelo menos duas horas por dia ao trabalho artesanal. Segundo ela é nesse momento em que ela se sente realizada. “É aqui onde me sinto mais feliz. Perco a noção do tempo”, afirmou.
Orgulhosa de seus trabalhos, Tereza deu vida a sua casa com o lixo transformado em arte. Hoje, ela apresenta suas obras em atividades realizadas pela Secretaria do Meio Ambiente e é exemplo de que é possível preservar o meio ambiente com ações conscientes. “Muita coisa que vai para o lixo não é lixo. Para mim é material que pode ser reciclado. Acredito que assim, também ajudo a preservar o meio. Faço minha parte como cidadã”, concluiu.
http://www.jornaldamanhamarilia.com.br/noticia/7822/Aposentada-transforma-lixo-em-arte/